Tecnologia jurídica em 2020: conheça algumas tendências


O avanço da tecnologia jurídica tem sido rápido. A transformação digital que chegou ao setor na segunda metade da década passada tem acelerado bastante e promete levar o segmento para uma região ainda desconhecida.

.

Em 2020, existem muitas tendências de tecnologia jurídica que deverão dominar o mercado nacional e mudar bastante a maneira como o Direito funciona e é acessado pelos cidadãos.

Interessou-se pelo assunto? Então siga a leitura para saber mais sobre ele!

1. Crescimento das lawtechs e legaltechs no Brasil

O ritmo de crescimento das lawtechs e legaltechs no Brasil tem assustado os especialistas. Nos últimos dois anos, foram 300% de crescimento, com perspectiva do número aumentar a partir de 2020.

As lawtechs e legaltechs são startups que atuam no Direito com o desenvolvimento de um software jurídico para facilitar o trabalho dos operadores do segmento.

Por exemplo, um programa para advogados permite capturar automaticamente os desenvolvimentos em um caso, facilitar a gestão de processos judiciais ou evitar falhas e erros em documentos.

2. Inteligência Artificial é a principal tecnologia jurídica de 2020

A principal tecnologia jurídica de 2020 será, sem dúvida, a Inteligência Artificial, mais especificamente aplicada em processos de RPA dotado de machine learning. Explicando de maneira simples, um RPA (que significa Robotic Process Automation, ou Automação de Processos Robóticos) é um processo no qual robôs feitos com Inteligência Artificial utilizam conhecimentos obtidos no aprendizado de máquina para se adaptarem às novidades e mudanças no sistema.

Na prática, isso permitirá que advogados deixem muitas das tarefas repetitivas e monótonas do Direito nas mãos dos robôs e possam se dedicar a outras tarefas, que exigem maior concentração e alto valor intelectual.

Por exemplo, uma tarefa muito comum que os robôs com IA farão em 2020 é a captura automática de desenvolvimentos em processos registrados no sistema do Judiciário com base no número de inscrição do advogado na OAB.

3. Computação em nuvem será essencial em 2020

Para algumas das tecnologias jurídicas da lista funcionarem, elas precisarão de algo: a computação em nuvem. Você provavelmente já ouviu falar nesse termo, mesmo que não entenda exatamente o que ele significa.

A computação em nuvem acontece quando um servidor específico roda algum programa, serviço ou base de dados e pode ser acessado pelos usuários de qualquer lugar. É quase como “mini-internets” dentro do grande céu que é a Internet.

A computação em nuvem permite que um advogado possa acessar a base de dados e documentos do escritório em São Paulo para consultar um documento para um cliente, ao mesmo tempo que seu colega está em um táxi em Salvador verificando um documento de um segundo cliente.

Além de viabilizar outras tecnologias, a computação em nuvem facilitará o teletrabalho, diminuirá custos e irá aprimorar o desempenho dos advogados em 2020.

4. Decisões baseadas em dados serão a norma

Hoje em dia, é comum que a Humanidade produza em um ano mais dados e informações do que em séculos passados. Não só somos mais numerosos (nunca teve tanta gente vivendo ao mesmo tempo no planeta), como temos tecnologias capazes de produzir dados em massa.

Cada interação na Internet gera dezenas de informações para os sistemas de coletas de dados. O mesmo começará a acontecer no mercado jurídico em 2020.

As decisões de negócios e estratégias de casos começarão a ser tomadas com base em dados do setor. Até mesmo a legislação poderá mudar quando houver o trabalho necessário para inserir a cultura de dados no Congresso.

5. Contratos por Blockchain se tornarão comuns

Você já ouviu falar em blockchain? É possível que não. No entanto, com certeza já ouviu falar em Bitcoin, correto? Blockchain é a tecnologia por trás do Bitcoin e que permite que a criptomoeda tenha um sucesso considerável no mercado financeiro, ao contrário de outras moedas digitais, que fracassaram pelo caminho.

De acordo com o Fórum Mundial Econômico, o blockchain é um dos mais importantes pedaços de tecnologia atuais, pois será o responsável por controlar pelo menos 10% de todo o PIB mundial em 2027.

Trata-se de uma tecnologia que permite a validação de contratos, transações e outros tipos de trocas e acordos sem a necessidade de uma autoridade central. Para os cartórios, é uma má notícia. Para o Direito, é uma novidade que vai alterar o funcionamento de muitos negócios com a chegada dos contratos inteligentes, feitos 100% digitalmente e validados pelo blockchain.

A tecnologia ainda é recente no Brasil, mas em breve verá suas primeiras aplicações públicas, como o uso do blockchain no transporte público da cidade de Teresina.

Essas são as principais tendências de tecnologia jurídica para 2020. Como pôde ver, existem novidades que muita gente nem sabia que existiam, mas que terão impacto considerável na vida das pessoas neste ano.

E aí, qual dessas tecnologias você já está mais acostumado a usar? Conte pra gente nos comentários abaixo!

 

76 Visualizações