Ministério da Saúde publica portaria sobre telemedicina


Curiosidades e conhecimentos sobre a telemedicina.

.

Depois da divulgação extra do DOU nesta segunda-feira, 23, a portaria 467/20 do ministério da Saúde, que em caráter excepcional e temporário, dispõe sobre as ações de telemedicina. Na semana anterior, com autorização do Conselho Federal de Medicina permitindo, em caráter excepcional.

Conforme a portaria, as ações deverão ser efetuadas entre médicos e pacientes constando em seu prontuário clínico, contemplar o atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico, por meio de tecnologia e comunicação no âmbito do SUS, também na saúde suplementar e privada. Em conseqüência/resultado poderão emitir atestados ou receitas médicas em meio eletrônico.

Desde 2015, o artigo mais elogiado pelos congressos de medicina em todo o mundo era da área de telemedicina. Hoje ela é capaz de contribuir com os mais variados setores, e na realização de exames importantes com maior rapidez. Profissionais da área de saúde estão começando a notar os resultados e avanços proporcionados pela prática de uma medicina preventiva mais eficiente, queda no número de internamentos hospitalares, práticas mais rentáveis e é claro, pacientes mais felizes principalmente pela rapidez nos procedimentos.

1º hospital virtual usa a Telemedicina para cuidar dos pacientes.
Um hospital nos Estados Unidos quer oferecer o melhor atendimento possível para seus pacientes, garantindo que eles não precisem ir até lá. Essa é a proposta do 1º hospital virtual do país, que conta com a tecnologia para cuidar das pessoas à distância desde 2015.
Uma instalação de 54 milhões de dólares, sem nenhum leito, que pratica a Telemedicina. O objetivo é oferecer atendimento de qualidade, sem que os pacientes tenham que fazer várias viagens desnecessárias ao hospital por causa de doenças e condições que poderiam ser tratadas em casa.

Como funciona?
A consulta é feita através de chamadas de vídeo com uso de câmeras de duas vias: o médico vê o paciente, o paciente vê o médico. O profissional de saúde também pode monitorar os sinais vitais do paciente, através de sensores ligados a um aparelho móvel. Os pacientes que se sentirem mal o suficiente para justificar uma ida ao hospital, podem ligar para agendar uma consulta. O centro já lançou um projeto piloto para coordenar os cuidados em pacientes com múltiplas doenças crônicas, que requerem consultas de acompanhamento regulares. Semanalmente, profissionais de saúde entram em contato com esses pacientes e fazem perguntas padrões sobre sua saúde.
Caso o paciente relate algum desconforto, os médicos analisam os sintomas e sinais vitais pela chamada de vídeo, para decidir se outra intervenção médica é necessária.

Desafios:
Alguns pacientes podem achar difícil ultrapassar a “barreira” da tecnologia, principalmente os mais velhos que não dominam noções básicas de internet.
Além disso, a consulta depende de uma boa conexão com a Internet, o que seria um problema aqui no Brasil, por exemplo, onde a rede não chega para todos.


Referências: